Cirurgia bariátrica: quais os requisitos para ser considerado obeso e realizar o procedimento

Vamos tratar nesse post de um assunto polemico é sobre Cirurgia Bariátrica. De acordo com dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), quase 20% da população brasileira sobre com a obesidade. Trata-se de um problema de saúde pública, com grandes implicações.

Muitos dos que lutam diariamente com o peso em excesso, acima do recomendado pelos médicos, optam pela realização de procedimentos cirúrgicos. A cirurgia bariátrica é a mais conhecida, com efeitos positivos na grande maioria dos casos.

Os requisitos para ser considerado obeso para a bariátrica, no entanto, constituem um grande entrave. Nem todo mundo está autorizado a passar pelo procedimento. Isso em razão da seriedade da cirurgia, que assim como todo procedimento médico, tem seus riscos para o paciente.

Por isso, falaremos detalhadamente sobre os requisitos para ser considerado obeso. Além disso, informações relevantes acerca do procedimento serão analisadas, como por exemplo a importância de ter um plano de saúde para fazer cirurgia bariátrica.

Requisitos da bariátrica: noções gerais

No Brasil, além dos quase 20% de obesos, a maior parte da população (54%) está acima do peso. Mas como saber se o peso de uma pessoa está adequado ou acima do adequado? Existe uma conta matemática simples, mundialmente conhecida, para determinar isso.

Trata-se do IMC (índice de massa corporal), que pode ser obtido através da divisão do peso (em quilogramas), pela altura (em metros), ao quadrado. O resultado ideal deve estar entre 18,5 e 24,99. Abaixo disso, o peso é considerado baixo. Acima desse indicador, temos o sobrepeso e a obesidade.

Vale ressaltar que a obesidade para a bariátrica começa apenas a partir de 35. Uma pessoa que se encontre pouco acima do resultado ideal deve optar por procedimentos menos agressivos, como dietas e mudanças de hábito cotidianos.

Um dos requisitos para ser considerado obeso para a bariátrica é apresentar, além da obesidade, algum outro fator de risco. Ou seja, a obesidade, por si só, não autoriza a realização do procedimento cirúrgico.

Os órgãos de saúde criaram as chamadas comorbidades para bariátrica, que são doenças e condições do organismo que, junto com a obesidade, sugerem a necessidade da cirurgia.

Vamos ao conceito de comorbidade: duas ou mais doenças, verificados de forma concomitante em uma pessoa, com conexão entre si. Por exemplo, a obesidade pode agravar o quadro de diabetes, estando os dois problemas de saúde intimamente conectados.

Para que a comorbidade seja verificada, uma série de exames podem ser solicitados. Isso é bastante comum no caso de pessoas que desejam fazer uma cirurgia bariátrica pelo plano de saúde. Antes de dar o aval pelo procedimento, esses cuidados são tomados.

Tal cautela visa proteger a integridade do paciente, tendo em vista que esse procedimento é invasivo, além de possuir uma série de riscos. Vale ressaltar também que a cirurgia não garante o resultado positivo, apesar de ser comprovada a sua eficiência.

Antes de falarmos de todos os requisitos para ser considerado obeso e fazer cirurgia bariátrica, é importante compreender o que é e como funciona esse procedimento médico.

O que é e como funciona a cirurgia bariátrica

A obesidade é um problema global. Atinge milhares de pessoas, em todos os cantos do planeta. Enquanto algumas pessoas estão um pouquinho acima do peso, outras sofrem com a obesidade extrema ou até mesmo mórbida. Em alguns casos, pessoas não conseguem nem mesmo se locomover.

Quando o peso está pouco acima do ideal, o mais recomendado é a mudança de hábitos, incluindo uma alimentação saudável e balanceada, exercícios físicos, maior ingestão de água e acompanhamento médico especializado.

O grande problema é que no caso de obesidade, essas mudanças podem não surtir nenhum efeito. Muitas pessoas obesas já tentaram de tudo para emagrecer e alcançar o corpo ideal, mas não conseguem nenhum resultado. Nessa hipótese, a cirurgia bariátrica pode ser o melhor caminho.

Trata-se de um procedimento cirúrgico invasivo, que faz com que o estômago do paciente fique consideravelmente menor, quando comparado ao seu tamanho regular. Essa diminuição do tamanho pode se dar em razão de alguma técnica mecânica ou pela remoção (corte) de uma parte do tecido.

Por se tratar de um procedimento bastante invasivo, nem todo mundo pode ser submetido. Existem requisitos para fazer a cirurgia bariátrica, que estão relacionados com fatores de risco (outras doenças que podem ser afetadas pela obesidade). Falaremos disso a seguir.

A lógica é bem simples: quanto menor o estomago, menor a vontade de comer. Se a pessoa passa a ingerir menos alimento, tende a perder peso. Na realidade, pessoas que realizam o procedimento apresentam uma queda rápida no peso corporal. Mas, assim como boa parte dos procedimentos cirúrgicos, os resultados dependem também do organismo do paciente e dos seus hábitos alimentares. É necessário manter uma rotina saudável, com exercícios e muita disciplina para perder peso sem perder a saúde.Cirurgia bariátrica

Comorbidades: lista de fatores de risco para a cirurgia bariátrica

De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, podem se submeter ao procedimento as pessoas que apresentarem resultado no IMC acima de 35. Além disso, é necessário que o paciente seja diagnosticado com algum fator de risco.
A lista de fatores de riscos é extensa, por isso a avaliação deve ser realizada caso a caso. Quem deseja fazer cirurgia bariátrica pelo plano de saúde provavelmente será submetido a exames para verificar a existência de:

• Diabetes;
• Apneia do sono
• Hipertensão arterial
• Dislipidemia;
• Doenças cardiovasculares incluindo doença arterial coronariana, infarto de miorcárdio (IM), angina, insuficiência cardíaca congestiva (ICC), acidente vascular cerebral, hipertensão e fibrilação atrial, cardiomiopatia dilatada, cor pulmonale e síndrome de hipoventilação;
• Asma grave não controlada;
• Osteoartroses;
• Hérnias discais;
• Refluxo gastroesofageano com indicação cirúrgica;
• Colecistopatia calculosa;
• Pancreatites agudas de repetição;
• Esteatose hepática;
• Incontinência urinária de esforço na mulher;
• Infertilidade masculina e feminina;
• Disfunção erétil;
• Síndrome dos ovários policísticos;
• Veias varicosas e doença hemorroidária;
• Hipertensão intracraniana idiopática (pseudotumor cerebri);
• Estigmatização social e depressão.

Todos os fatores de riscos listados acima, quando associados com a obesidade, podem justificar a realização da cirurgia bariátrica. Muitas pessoas deixam de poder fazer o procedimento por não apresentarem nenhum desses fatores.

A partir de que idade é possível fazer a cirurgia?

Existem outro requisito para fazer a cirurgia bariátrica: ter idade acima de 16 anos. Esse critério se explica em razão da gravidade do procedimento. Mesmo nesses casos, faz-se necessário o acompanhamento de um profissional da pediatria.

Para que o procedimento seja um sucesso, as cartilagens das epífises devem estar consolidas. Essa análise é feita pelo pediatra. Apesar de ser permitida para pessoas com 16 anos completo, a realização da cirurgia em menores de 18 ainda é vista como experimental.

Requisitos do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde possui seus próprios requisitos para ser considerado obeso para bariátrica. Na verdade, são indicadores, que mostram que a cirurgia pode ser o melhor caminho a seguir. Por isso mesmo, exames podem ser solicitados, sempre que se mostrar necessário para a confirmação do quadro.

Vejamos os indicadores:
• Indivíduos que apresentem IMC≥50 Kg/m2;
• Indivíduos que apresentem IMC≥40 Kg/m², com ou sem comorbidades, sem sucesso no tratamento clínico longitudinal realizado, na Atenção Básica e/ou na Atenção Ambulatorial Especializada, por no mínimo dois anos e que tenham seguido protocolos clínicos;
• Indivíduos com IMC>35 kg/m2 e com comorbidades, tais como pessoas com alto risco cardiovascular, diabetes mellitus e/ou hipertensão arterial sistêmica de difícil controle, apneia do sono, doenças articulares degenerativas, sem sucesso no tratamento clínico longitudinal realizado por no mínimo dois anos e que tenham seguido protocolos clínicos.

Plano de saúde e sua importância para a cirurgia bariátrica

Quando comprovada a necessidade de realização da cirurgia bariátrica, o plano de saúde cobre todo o procedimento, bem como os exames a ele relacionados. Por isso é fundamental contar com o suporte de uma empresa nesse segmento.

Como você pode ver, a cirurgia é recomendada apenas em alguns casos. Muitas vezes a simples mudança de hábitos pode ser suficiente para reverter o quadro de sobrepeso. Fazer dieta, ingerir alimentos saudáveis, fazer atividades físicas com frequência, tudo isso é importante.

Mesmo que a pessoa não apresente as comorbidades que indicam a necessidade de bariátrica, o plano de saúde pode ser útil. Isso porque o segurado pode fazer consultas e outros procedimentos, com cobertura completa.

O acompanhamento por profissionais das diversas áreas da saúde é fundamental para que as pessoas tenham uma vida mais saudável. Agora, se os requisitos para a bariátrica pelo plano de saúde forem satisfeitos, o procedimento pode ser bastante útil.

Os resultados são incríveis quando a cirurgia é acompanhada de uma mudança alimentar e práticas mais saudáveis no dia a dia. Faça um plano de saúde e tenha mais conforto e comodidade. Lembre-se de que a vida é o nosso bem mais precioso.

A obesidade nos impede de alcançar a verdadeira felicidade, uma vez que não podemos nos locomover, comer livremente, desfrutar momentos de lazer com a família, entre outras atividades prazerosas. Não deixe de fazer exames para verificar se a cirurgia é o mais indicado para o seu caso.

E se você está em dúvida se está com diabetes ou não e precisa de um plano de saúde, fale com nossa equipe agora mesmo e receba cotações sem compromisso. 

Conte com um plano de saúde, viva mais, viva melhor.

 

Adicionar comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *