É possível ter câncer de Mama na Adolescência?

Algumas pessoas ainda pensam que não  é possível ter câncer de mama na adolescência, mas estão totalmente enganadas. Para se ter uma ideia, segundo dados do Inca – Instituto Nacional do Câncer – o câncer de mama atinge cerca de 1% das adolescentes, em uma idade entre 13 e 16 anos, ou seja, uma em cada cem mulheres são afetadas com a doença.

Apesar de ainda raro, o que assusta é que a cada ano que passa o número de adolescentes diagnosticadas com câncer de mama só cresce. Sem um plano de saúde para cobrir as despesas, muitos dos acometidos pela doença acabam morrendo precocemente. O câncer de mama na adolescência se tornou um problema mundial.

Até mesmo por falta de informação, alguns pais acreditam que não é necessário levar suas filhas ao ginecologista na época da primeira menstruação. É importante que tenham em mente que quanto antes começarem um acompanhamento médico, muitas doenças poderão ser prevenidas.

Por isso a importância de contar com um plano de saúde de qualidade, não apenas para auxiliar na prevenção do câncer, mas de muitas outras doenças. Mas hoje vamos focar no câncer de mama na adolescência e a importância do diagnóstico precoce, pois isso faz com que o tratamento seja mais eficaz, aumentando consideravelmente o prognóstico.

 

Por que o câncer de mama na adolescência é preocupante?

Na verdade, o câncer é preocupante em qualquer faixa etária, mas quando falamos em relação à adolescência, queremos dizer que caso aconteça nessa fase, se torna muito mais agressivo. Dados apontam que cerca de 30% dos que sofrem com o câncer de mama na adolescência acabam não resistindo à doença, pois não respondem à quimioterapia.

É preciso que os pais fiquem atentos caso haja na família algum caso de câncer de mama ou de ovário, pois existe então uma maior predisposição genética para o aparecimento da doença, apesar dos oncologistas ainda não saberem ao certo porque esse tipo de câncer na adolescência é mais agressivo.

Geralmente, através do autoexame, caroços podem ser detectados, mas na maior parte das vezes são benignos e como já foi dito em apenas 1% das adolescentes, os tumores são malignos. Apesar do pequeno número estatístico, o câncer de mama na adolescência assusta, tendo em vista os efeitos nocivos.

Um ponto que merece ser ressaltado é que quanto mais a idade vai avançando, o sistema imunológico vai ficando mais deficiente, ou seja, as defesas naturais do organismo diminuem e, consequentemente, há um aumento no número de casos de câncer.

Agora, o ideal é que toda adolescente tenha acesso ao máximo de informações e, principalmente aprenda a conhecer o próprio corpo. Assim fica bem mais fácil identificar se algo está errado e procurar ajuda de imediato. O câncer de mama na adolescência, quando diagnosticado rápido, pode ser contornado.

Por isso que é tão importante contar com um plano de saúde que lhe ofereça um profissional em que ela possa confiar e que seja comprometido com a sua saúde.  Ainda mais porque o câncer de mama quando está no início não apresenta sintomas e quanto antes começar o acompanhamento com um médico melhor!

Quando marcar a primeira consulta com um ginecologista?

Assim que a menina entra na puberdade e tem a sua primeira menstruação, é recomendável que comece a fazer um acompanhamento com um médico ginecologista. Ele é o profissional que vai ajudar essa jovem a compreender as mudanças no seu corpo e lhe dar todas as orientações caso algo anormal venha a acontecer.

Muitas vezes alguns sintomas são negligenciados e quando a jovem se dá conta, já pode ter evoluído para algo mais sério, como é o caso do câncer de mama.

Apesar de ser mais raro, ele pode sim acontecer. Daí a importância de uma assistência médica especializada e hoje isso é possível através de planos de saúde que dispõe de várias especialidades médicas. Os planos de saúde cobrem as despesas para diagnóstico e tratamento do câncer de mama em todas as idades.

No caso do câncer de mama, caso haja necessidade, o ginecologista vai fazer um redirecionamento para um médico mastologista, que é especialista em tratamento das mamas. Ele vai solicitar os exames necessários de forma a elaborar um diagnóstico mais preciso, os quais também são disponibilizados pelos planos de saúde.É possível ter câncer de Mama na Adolescência?

Qual a importância do autoexame?

O autoexame é muito importante porque através dele a jovem vai aprender como é a sua mama, isto é, vai aprender a se autoconhecer. E como fazer? A adolescente deve ficar de frente para o espelho, levantar uma das mãos e com a outra fazer a apalpação. Lembrando que as axilas também devem ser apalpadas.

O autoexame deve ser feito todos os meses, assim que acabar a menstruação, pois as mamas estão mais desinchadas. Como a mulher conhece bem o corpo, basta um simples toque e massagem para sentir se há ou não diferença com relação ao formato habitual do corpo. Com alguma frequência, o governo veicula anúncios mostrando como deve ser feito o autoexame.

E ao perceber alguma anomalia, como áreas mais duras nas mamas, uma alteração na forma, saída de líquido pelos mamilos e até gânglios nas axilas, o melhor a fazer é procurar logo o médico do seu plano de saúde para tirar todas as dúvidas. Lembre-se de que o câncer de mama na adolescência é muitas vezes silencioso. Fazer o autoexame ajuda muito.

Talvez não seja nada, mas é sempre bom ter em mente que quanto mais precoce for feito o diagnóstico, tanto o tratamento é mais eficaz quanto a chance de cura. E mais uma vez, por isso que o ideal é contar com um plano de saúde para dar todo o suporte à paciente.

Como é feito o diagnóstico de câncer de mama na adolescência?

Então, no caso das adolescentes não é indicado a mamografia, não apenas pelos efeitos nocivos da radiação, mas também porque é praticamente impossível identificar qualquer tipo de nódulo, diferentemente das mulheres adultas que devem fazer a mamografia anualmente a partir dos 35 anos.

Isso acontece porque a mamografia somente detecta algum nódulo por meio da gordura que envolve a mama e no caso das adolescentes, a quantidade de gordura é muito pequena e pelas mamas serem compostas de tecido denso fibroglandular.

O problema é que nessa fase há uma alteração natural da mama e muitas vezes, os nódulos podem passar desapercebidos. O problema é que corre o risco de que quando o câncer for diagnosticado pode estar já em um estágio mais avançado, dificultando o tratamento e o prognóstico.

Agora, se a jovem desde cedo já tiver o hábito de consultar um médico, vai ter todas as orientações de que ao perceber algo de diferente na sua mama, deve logo marcar uma consulta.

O profissional fará todas as perguntas à paciente, por exemplo, quando percebeu a presença do nódulo, se aumentou, se sente alguma dor, etc. Além disso, fará uma pesquisa quanto aos antecedentes familiares e a alguns fatores de risco.

Na verdade, ele precisa buscar a maior quantidade de dados para elaborar um diagnóstico preciso e correto. A prevenção nesses casos é primordial, assim como o diagnóstico precoce da doença, onde o prognóstico da doença está diretamente relacionado ao diagnóstico.É possível ter câncer de Mama na Adolescência?

A importância de um plano de saúde

É importante ter em mente que hoje ter um plano de saúde é essencial, não apenas por dispor de profissionais para tratar doenças, mas essencialmente para preveni-las.  E no caso das adolescentes, o acompanhamento regular a um ginecologista é tão importante quanto para as mulheres adultas.

Quando se trata do câncer de mama na adolescência, todo cuidado é pouco. As despesas geradas pelo tratamento são muitas e por vezes pesadas para o bolso das famílias, que acabam recorrendo ao sistema público de saúde. Ele existe, mas é lento e raramente funciona da forma como deveria funcionar.

Muitas vezes, os pais não dão a devida importância a algumas manifestações que podem estar ocorrendo com suas filhas, mas precisam se conscientizar de que quanto antes começar a ser feito um acompanhamento ginecológico, mais a saúde será preservada, evitando uma série de doenças.

Ainda existe um certo tabu em relação a levar adolescentes a um ginecologista, mas é preciso os pais se conscientizarem da importância de um médico que esteja comprometido com a saúde de sua filha.

Cabe aos pais e responsáveis orientarem suas filhas a procurar um ginecologista. Não se deve esperar para que o problema apareça.

Conforme mencionamos, pode ser que não exista nada – e isso é ótimo. Mas caso o diagnóstico não seja positivo, existem caminhos e medidas que podem ser tomadas para tratar o câncer de mama na adolescência e impedir o seu desenvolvimento.

E para isso, é só escolher um plano de saúde de excelência, que disponha dos profissionais mais capacitados, além de hospitais, clínicas e laboratórios. Não deixe que o câncer de mama na adolescência acabe com a felicidade da família. Quando antes for realizado o diagnóstico e tratamento, melhores os resultados.

Se precisar de auxilio para dúvidas sobre as principais coberturas de um plano de saúde ou se desejar contratar um, fale com nossa equipe.

É possível ter câncer de Mama na Adolescência?

Adicionar comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *