Planos de Saúde possuem ampla cobertura para o tratamento do câncer

 

O câncer é sem sombra de dúvidas uma das doenças mais temidas no planeta. O grande número de casos registrados e a severidade com que a enfermidade se manifesta deixa a população em situação de alerta.

Existem diversas pesquisas em andamento, que variam desde a busca por tratamentos mais eficientes, até uma cura definitiva para o câncer. Infelizmente, apesar de todos os avanços da ciência e medicina moderna, nenhuma solução efetiva foi encontrada.

O diagnóstico antecipado é uma das formas de combater a enfermidade em sua fase embrionária, quando os danos ao organismo são reversíveis. Por isso é importante contar com o suporte de um plano de saúde, que se comprometa não apenas com os exames, mas também com o tratamento, caso seja necessário.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer – Inca – até 2019 devem surgir no país 1,2 milhão de novos casos da doença. A estimativa é que em 2018 devam surgir em torno de 582 mil novos casos.

Em outubro de 2017, a ANS ampliou a lista da cobertura de alguns procedimentos, onde de uma lista de 18 medicamentos, oito englobam o tratamento do câncer. Como essa lista é atualizada a cada dois anos, começou a ser válida a partir de 2 de janeiro de 2018.

A grande questão é que a maior parte da população brasileira não pode contar com os serviços públicos de saúde, especialmente para os casos de câncer. Dessa forma, a ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar – vem exigindo muito mais das operadoras de saúde.

Planos de Saúde possuem ampla cobertura para o tratamento do câncer

Quais são as novas coberturas que foram incluídas nos planos de saúde para o tratamento do câncer?

Em primeiro lugar, a Resolução Normativa faz parte de um processo da ANS, o qual é debatido no Comitê Permanente de Regulação da Atenção à Saúde (Cosaúde), do qual fazem parte representantes do governo, do setor de saúde suplementar e de órgãos de defesa do consumidor.

Todas as sugestões são submetidas à consulta pública para que a sociedade possa se manifestar e a partir dessas sugestões, três novos procedimentos foram incluídos.

A Resolução Normativa com a atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde e a partir de 2018, houve a ampliação da cobertura dos planos de saúde para novos procedimentos, inclusive medicamentos orais para o tratamento de câncer de pulmão, melanoma, próstata, tumores neuroendócrinos, mielofibrose e leucemia.

Médicos oncologistas afirmam que tais medicamentos são muito importantes porque aumentam a sobrevida dos pacientes assim como a resposta dos tumores e sem falar na melhora da qualidade de vida.

Entre os procedimentos para o tratamento do câncer, podemos citar a Tomografia Computadorizada por Emissão de Pósitrons (PET-CT) para o diagnóstico de tumores neuroendócrinos, além de cirurgia laparoscópica para tratamento de câncer de ovário.

De acordo com a ANS, a nova cobertura deverá atender a cerca de 42,5 milhões de beneficiários que possuem planos de saúde e 22,6 milhões que contam com planos odontológicos.

Essas novas coberturas se mostram mais alinhadas com a realidade da doença no Brasil. Seguindo padrões internacionais, a Agência Nacional de Saúde Suplementar procura estabelecer bases mínimas para proteger aqueles que precisam invocar a apólice quando da descoberta do câncer.

O crescimento no número de casos releva que a doença não respeita classes econômica, região ou idade. Pessoas de todas as faixas etárias e de renda estão sujeitas ao câncer.

Isso tudo aponta para a necessidade de coberturas básicas, que devem ser oferecidas pelo plano de saúde a todos os segurados. Dessa forma, nenhum dos contribuintes ficará fora da proteção mínima, para que tenha uma vida digna e consiga as melhoras chances de sobrevida.

Quais são as coberturas oferecidas pelos planos de saúde para o tratamento do câncer?

Além dos procedimentos preventivos como mamografia, colonoscopia, teste de Papanicolau, pesquisas genéticas, exames laboratoriais e consultas com especialistas, oferece também:

Exames Diagnósticos: exames de imagem, de medicina nuclear e exames laboratoriais.

Tratamentos: Cirurgias convencionais e minimamente invasivas, radioterapia, quimioterapia endovenosa, quimioterapia oral, medicação para o controle dos efeitos colaterais da quimioterapia e transplante de medula óssea.

Procedimentos reparadores e de reabilitação: reconstrução mamária após mastectomia e cirurgias reparadoras, atenção de uma equipe multiprofissional como psicoterapeutas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e nutricionistas.

A partir do momento em que for confirmado o diagnóstico de câncer, os planos de saúde é a melhor opção para o prognóstico, pois o paciente tem à sua disposição não apenas todos os exames preventivos e diagnósticos, mas todos os tratamentos de ponta e todo o suporte de profissionais especializados.Planos de Saúde possuem ampla cobertura para o tratamento do câncer

 

Por que o Rol é atualizado a cada dois anos?

Antes de mais nada, saiba que todos os planos de saúde contratados a partir de 1999 devem cumprir o Rol e a cada dois anos a lista é atualizada.

De acordo com a ANS, a lista é atualizada para “garantir o acesso ao diagnóstico, tratamento e acompanhamento das doenças através de técnicas que possibilitem o melhor resultado em saúde, sempre obedecendo a critérios científicos comprovados de segurança, eficiência e efetividade”.

Vale ressaltar que essa atualização não acompanha a aprovação de novos procedimentos e medicamentos feita pela Anvisa – Agência de Vigilância Sanitária. O que ocorre é que tais procedimentos e medicamentos acabam demorando muito para serem incluídos na cobertura dos planos de saúde.

Esse descompasso entre os medicamentos e procedimentos aprovados pela Anvisa e atualização dos planos de saúde representa um grande problema. Em verdade, todos os anos surgem novas drogas e técnicas prometendo acabar com o câncer ou minimizar os seus efeitos de forma simplificada.

Mas todos os novos processos e medicamentos precisam passar por uma série de avaliações e testes laboratoriais, além de testes em seres humanos, antes de serem liberados para inclusão nos planos de saúde.

O tratamento do câncer, além de provocar um impacto da vida do paciente, é muito custoso devido à radioterapia, quimioterapia e medicamentos. E hoje, quem possui um plano de saúde tem toda a garantia de que terá o tratamento adequado.

E é por isso que a cada dois anos, a ANS inclui novos procedimentos, de forma que aqueles que possuem plano de saúde possam se beneficiar de todos eles. Para se ter acesso a lista de todos os procedimentos incluídos no Rol, basta acessar o site da ANS.

A atualização a cada dois anos pode não ser a melhor, mas é um caminho. Evita que pacientes recebam medicamentos e tratamentos desatualizados, que não funcionam ou apresentam eficiência reduzida quando comparados com outros mais novos no mercado.

O que é o projeto OncoRede?

O Projeto OncoRede é uma iniciativa da ANS que visa na melhora da assistência oncológica prestada pela saúde suplementar.

Através de uma parceria com institutos de pesquisa, instituições referência no tratamento de câncer e associação de pacientes, tem como objetivo implantar um novo modelo para os beneficiários de planos de saúde de forma na proposição de ações e medidas para reorganizar, estimular a integração e aprimorar a prestação de serviços.

Segundo a própria ANS, visa a “busca de um sistema organizado e responsivo, com regras claras, profissionais capacitados e informação acessível” e um “diagnóstico mais preciso da situação atual do cuidado oncológico, o estímulo à adoção de boas práticas na atenção hospitalar e melhorias nos indicadores de qualidade da atenção ao câncer nos planos de saúde”.

Esse projeto envolve 21 operadoras de planos de saúde e 21 prestadores de serviços, além da parceria de 14 instituições.

A ANS se responsabiliza pelo monitoramento da efetividade do projeto por meio de indicadores que avaliam itens como a disponibilização de apoio multiprofissional na unidade de atendimento, o percentual de mulheres entre 50 e 69 anos que realizaram mamografia e o tempo médio entre o diagnóstico e o tratamento.

É importante lembrar que todos os beneficiários de planos de saúde e que estejam passando por um tratamento de câncer possuem todos os seus direitos garantidos pela ANS. Assim, podem dispor dos melhores profissionais, exames de última geração, hospitais e claro, os tratamentos.

Hoje em dia, para aqueles que são portadores de câncer, os planos de saúde são considerados o que há de melhor quando o assunto é tratamento, pois o paciente vai dispor de todos os serviços em todas as etapas.

Diante da falência do serviço público de saúde, o melhor é buscar por um plano de saúde para fornecer toda a cobertura necessária. Estima-se que o ponto de partida para o sucesso do tratamento é a prevenção e quanto mais precoce for o diagnóstico, melhores são os prognósticos.

E os planos de saúde são os que podem oferecer o que há de melhor para o tratamento do câncer. Atualmente, existe uma variedade de planos. Nem todos estão conforme as regras da ANS. Ou seja, nem todos seguem com rigor as diretrizes determinadas pela ANS.

Por isso é importante ficar de olho antes de fechar o contrato com uma empresa de planos de saúde. Lembre-se de que doenças como o câncer podem surgir a qualquer momento, acometendo pessoas de todos os sexos e idades.

Procure por um plano que ofereça ampla cobertura e procedimentos atualizados, condizentes com os avanços da medicina moderna.

E se você está em dúvida se está com diabetes ou não e precisa de um plano de saúde, fale com nossa equipe agora mesmo e receba cotações sem compromisso.

Adicionar comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *